SAINT-CLOUD, France, Nov. 25, 2015 /PRNewswire/ — Dassault Aviation introduced its proprietary Combined Vision System at NBAA’s Business Aviation Convention & Exhibition (BACE) which was held in Las Vegas, Nevada, last week.

The system, dubbed FalconEye, was presented on a Falcon 2000LXS on display at the show. The aircraft is a production model due to be delivered by year’s end.

“It’s in our very DNA to innovate in ways that bring added value to the customer,” said Eric Trappier Chairman and CEO of Dassault Aviation. “With the advent of our Combined Vision System, operators will benefit from a superior HUD design that affords vastly improved situational awareness and safety regardless of the time of day or weather conditions.”

FalconEye is the first Head Up Display (HUD) system to combine synthetic, database-driven terrain mapping and actual thermal and low-light camera images, providing an unprecedented level of situational awareness to flight crews. The fourth-generation, multi-sensor camera is composed of six different sensors, fusing images from both the visible and infrared spectrums.

“What makes this truly revolutionary is the unique and patented way in which we blend real video of the outside world in low-light conditions with synthetic terrain imagery, a first in the business jets industry,” said Olivier Villa, Senior VP Civil Aircraft; Dassault Aviation.

Dassault’s unique approach presents a synthesized view to the pilot clearly delineating between real, enhanced and synthetic worlds. The Enhanced Vision portion of the system will also permit approaches with operational credit and increased aircraft capabilities.

Dual HUDs – another industry first – will be a future option for customers. Dual HUDs will provide the same information and views heads-up to both pilots, harmonizing HUD utilization for the flying and non-flying pilot while improving crew coordination and facilitating pilot training

Long History of HUD Innovations

Dassault has long been a forerunner in the development of modern HUD systems. The first HUD in operational use was installed on Dassault’s Mirage IIIB fighter. The Mirage IIIB HUD paved the way for a long line of design improvements down to the advanced units on today’s Mirage 2000 and Rafale fighter aircraft.

In the early 1970s, the Dassault Mercure, a 150 seat short/medium-range airliner, was the first civil aircraft to be fitted with a head-up display. Associated with a ‘fail passive’ auto-pilot, it allowed approaches in very low visibility conditions that had previously been off limits to civilian pilots.

In 1993, Dassault introduced the Falcon 2000, the first business jet equipped with a head-up guidance system which permitted hand-flown approaches down to CAT III conditions.

Notes for Editors

Dassault Falcon is the recognized global brand for Dassault business jets which are designed, manufactured and supported by Dassault Aviation and Dassault Falcon Jet Corp.

About Dassault Aviation

Dassault Aviation is a leading aerospace company with a presence in over 90 countries across five continents. It produces the Rafale fighter jet as well as the complete line of Falcons. The company employs a workforce of over 11,000 and has assembly and production plants in both France and the United States and service facilities around the globe. Since the rollout of the first Falcon 20 in 1963, over 2,380 Falcon jets have been delivered. Dassault offers a range of six business jets from the twin-engine 3,350 nm large-cabin Falcon 2000S to its new flagship, the tri-engine 6,450 nm ultra-long range Falcon 8X.

About Dassault Falcon Jet

Dassault Falcon Jet Corp. is a wholly owned U.S. subsidiary of Dassault Aviation, France. Dassault Falcon Jet markets and supports the Falcon family of business jets throughout North and South America.

Este Mal Ainda Pode Acabar com Você
Por Ernesto Berg

Perfecccionista: “Aquele que se incomoda em complicar o descomplicado, e em dificultar o que é simples”.

Diz um ditado que o perfeito é inimigo do ótimo. É uma frase sem sentido para o perfeccionista, que procura sempre a perfeição em tudo. Eternamente exigente consigo mesmo e com os outros, não consegue perceber que a perfeição é desejável, mas raramente necessária. É mestre em envolver-se com detalhes, muitos dos quais, de pouca importância; é capaz de ver um grão de pó numa xícara, e não notar um elefante caminhando ao seu lado, por estar excessivamente concentrado em limpar o minúsculo pó do utensílio.

Claro que um certo grau de perfeccionismo não só é desejável como necessário, para não cair no extremo oposto do relaxamento negligente. Entretanto, é preciso bom senso e autodisciplina para não ultrapassar os limites da coerência. O perfeccionista é reconhecido por seu comportamento de busca compulsiva pela perfeição a todo instante e a qualquer custo, mesmo que isto signifique trazer problemas e dificuldades aos que estão a sua volta.

Se você:

– Acha que o seu modo de trabalhar é sempre o melhor jeito de fazer as coisas.
– Controla cada detalhe do seu departamento ou setor.
– Examina detalhadamente cada item antes de liberar o trabalho.
– Tem coisas que só você, e ninguém mais, sabe fazer em seu setor.
– É sempre muito exigente com os outros e com você mesmo.
– Faz questão de que tudo saia sempre na máxima perfeição.
– Revê sistematicamente o trabalho de seus subordinados ou colegas para ter certeza de que nada saia errado.
– Implica com coisas mínimas porque saíram de modo diferente do que você queria.
– Dedica muito tempo a corrigir falhas de pouca importância.

Se você respondeu SIM a duas ou mais das situações acima, então você é um perfeccionista convicto, receita garantida de improdutividade, demoras, atrasos, retrabalho constante e muita (muita mesmo) irritação – sua e de quem convive com você -, seja no trabalho ou em casa.

Além do mais, se você é exigente e complicado nas pequenas coisas provavelmente também tem um comportamento complicado em todas as outras. Se for assim, é candidato a ganhar a medalha de latão, pois além de perfeccionista é, provavelmente, pouco produtivo.

Dicas para livrar-se ou, pelo menos, diminuir o perfeccionismo

– Em vez da perfeição, contente-se com o ótimo, e às vezes, até mesmo o bom já é suficiente.

– Não perca tempo corrigindo falhas sem importância, ou que sejam insignificantes no contexto geral.

– Policie-se para não ficar “pegando no pé” dos outros por coisas sem importância.

– Reconheça que nem todos tem o seu padrão de exigência e perfeccionismo, e não os cobre por isso.

– Aceite trabalhos e tarefas dos outros que estejam no nível bom, dentro dos
padrões requeridos pela empresa, mesmo que não estejam dentro do seu alto padrão de exigência.

– Permita com que as pessoas executem tarefas e atividades do seu próprio jeito (não precisa ser sempre da sua maneira), desde que atinjam os mesmos resultados em termos de quantidade, qualidade, prazos etc.

– Procure ser mais flexível e tolerante com eventuais erros seus e dos outros no trabalho e, em vez de irritar-se, corrija rapidamente a falha sem fazer disso um drama.

– Aceite as diferenças de estilo e de ritmo de trabalho seus, e os das demais pessoas com quem você convive ou trabalha.

– Procure ter senso de proporção, e trabalhe com rapidez sempre em cima das prioridades estabelecidas.

– Policie-se para não se deixar levar por detalhes e pormenores irrelevantes que tomam tempo e pouco pesam no contexto geral.

Lembre-se, a busca da perfeição custa tempo, dinheiro e esforço (com muito retrabalho) que não compensam, pois o custo-benefício quase nunca justifica tanto empenho. Aprenda a contentar-se com o bom, na maioria dos casos.
Aquilo em que você focaliza sua atenção tenderá a expandir-se. Focalize nas picuinhas e pormenores e terá mais disso. Focalize sua atenção nas soluções e procedimentos eficazes e terá mais disso, isto é, seu trabalho se expandirá cada vez mais, e de forma produtiva.

Texto extraído e condensado do livro “Quem Roubou o meu Tempo? de Ernesto Artur Berg,

Published on Mar 19, 2015

Aircraft which fly more direct routes use less fuel: this is good for the environment as there are fewer emissions. It saves airlines money, too. We at EUROCONTROL launched the Flight Efficiency Initiative (FEI) in 2013 so as to offer aircraft operators the most efficient routes on the day of operation. We scrutinize flight plans and find a quicker or more cost-effective route. The Network Manager can make re-routing proposals up to two hours before departure. In 2014, thanks to the FEI, we were able to save 32,644 minutes and 375,000 kilometers. Take part in the Flight Efficiency Initiative and discover our dynamic route generator: it’s user-friendly and free of charge. More information is available at http://www.eurocontrol.int/fei

If you’re Climbing Via a SID or Descending Via a STAR and

• ATC vectors you off track, or
• You are deviating for weather
Be sure to get an assigned altitude from ATC.

Recently, an aircraft was cleared to “descend via” an RNAV STAR, but needed to deviate away from the STAR’s lateral track due to weather. ATC approved the deviation, but did not assign an altitude to maintain. ATC’s expectation was that the aircraft would still comply with the published altitude restrictions.

If the cross-track deviation from the lateral track becomes great enough, VNAV guidance may no longer be available resulting in the automation reverting to another vertical mode.

Depending on the setting of the altitude pre-selector, the aircraft may no longer honor the altitude restrictions published on the procedure.

In addition, the published altitude restrictions on a SID or STAR provide obstacle and terrain clearance only when the aircraft is established on the procedure’s track. If the aircraft deviates from the procedure, an ATC-assigned altitude will ensure obstacle clearance.

The FAA is addressing this issue in a future update to the pilot and controller guidance. In the interim, pilots should request an altitude to maintain if a “climb via” or “descend via” clearance has been issued and the aircraft must deviate away from lateral track of the procedure.

Remember, the assignment of an altitude-to-maintain is required regardless of whether the pilot request a deviation or ATC issues a clearance that removes the aircraft from the procedure’s lateral track.

Estava eu participando de um seminário nos EUA com um colega, e como de costume, procuro chegar sempre 30 minutos antes. Não tinha serviço de valet no estacionamento, então eu mesmo tive que procurar uma vaga e estacionar o carro. Logo que entrei na área do estacionamento, procurei uma vaga e estacionei o carro. O meu colega me questionou o por que parar tão longe da entrada, já que o estacionamento estava vazio. Eu disse: as vagas mais próximas da entrada são para as pessoas necessitadas. Aquelas que precisam de um auxílio ou por algum motivo chegaram atrasadas e não precisarão correr pelo estacionamento até a porta de entrada. Como chegamos mais cedo, podemos caminhar com calma no estacionamento e ainda teremos muito tempo para o início da palestra. Não sou perfeito, apenas me preocupo com o próximo. Old fashion !!

Um jovem foi se candidatar a um alto cargo em uma grande empresa . Passou na entrevista inicial e estava indo ao encontro do diretor para a entrevista final. O diretor viu seu CV, era excelente. E perguntou-lhe:
– Você recebeu alguma bolsa na escola? – o jovem respondeu – Não.
– Foi o seu pai que pagou pela sua educação?
– Sim – respondeu ele.
– Onde é que seu pai trabalha?
– Meu pai faz trabalhos de serralheria.
O diretor pediu ao jovem para mostrar suas mãos.
O jovem mostrou um par de mãos suaves e perfeitas.
– Você já ajudou seu pai no seu trabalho?
– Nunca, meus pais sempre quiseram que eu estudasse e lesse mais livros. Além disso, ele pode fazer essas tarefas melhor do que eu.
O Diretor lhe disse:
– Eu tenho um pedido: quando você for para casa hoje, vá e lave as mãos de seu pai. E venha me ver amanhã de manhã.
O jovem sentiu que a sua chance de conseguir o trabalho era alta!
Quando voltou para casa, ele pediu a seu pai para deixá-lo lavar suas mãos.
Seu pai se sentiu estranho, feliz, mas com uma mistura de sentimentos e mostrou as mãos para o filho. O rapaz lavou as mãos de seu pai lentamente. Foi a primeira vez que ele percebeu que as mãos de seu pai estavam enrugadas e tinham muitas cicatrizes. Algumas contusões eram tão dolorosas que sua pele se arrepiou quando ele a tocou.
Esta foi a primeira vez que o rapaz se deu conta do significado deste par de mãos trabalhando todos os dias para pagar seus estudos. As contusões nas mãos eram o preço que seu pai teve que pagar por sua educação, suas atividades escolares e seu futuro.
Depois de limpar as mãos de seu pai, o jovem ficou em silêncio organizando e limpando a oficina do pai. Naquela noite, pai e filho conversaram por um longo tempo.
Na manhã seguinte, o jovem foi encontra-se com o Diretor.
O diretor percebeu as lágrimas nos olhos do moço quando ele perguntou:
– Você pode me dizer o que você fez e aprendeu ontem em sua casa?
O rapaz respondeu:
– Lavei as mãos de meu pai e também terminei de limpar e organizar sua oficina. Agora eu sei o que é valorizar, reconhecer. Sem meus pais, eu não seria quem eu sou hoje… Por ajudar o meu pai agora eu percebo o quão difícil e duro é para conseguir fazer algo sozinho. Aprendi a apreciar a importância e o valor de ajudar a família.
O diretor disse:
– Isso é o que eu procuro no meu pessoal. Quero contratar uma pessoa que possa apreciar a ajuda dos outros, uma pessoa que conhece os sofrimentos dos outros para fazer as coisas, e que não coloca o dinheiro como seu único objetivo na vida. Você está contratado.
Uma criança que tenha sido protegida e habitualmente dado a ela o que quer, desenvolve uma mentalidade de “Tenho direito” e sempre se coloca em primeiro lugar. Ignora os esforços de seus pais.
Se somos esse tipo de pais protetores, estamos realmente demonstrando amor ou estamos destruindo nossos filhos?
Você pode dar ao seu filho uma casa grande, boa comida, educação de ponta, uma televisão de tela grande… Mas quando você está lavando o chão ou pintando uma parede, por favor, o faça experimentar isso também . Depois de comer, que lave os pratos com seus irmãos e irmãs. Não é porque você não tem dinheiro para contratar alguém que faça isso; é porque você quer amar do jeito certo. Não importa o quão rico você é, você quer entender. Um dia, você vai ter cabelos brancos como a mãe ou o pai deste jovem.
O mais importante é que a criança aprenda a apreciar o esforço e ter a experiência da dificuldade, aprendendo a capacidade de trabalhar com os outros para fazer as coisas.